Relacionamentos abusivos: 4 motivos para ficar atenta à superproteção

Relacionamentos abusivos: 4 motivos para ficar atenta à superproteção

Relacionamentos abusivos: 4 motivos para ficar atenta à superproteção

Em relacionamentos abusivos, uma característica muito comum é a superproteção. Muitas vezes, ela é confundida com preocupação, amor e carinho. Mas, no fundo, esconde algo muito perigoso: o controle emocional.

Por mais que a gente esqueça, superproteção em um relacionamento não é amor nem atenção com o nosso bem-estar. É apenas mais uma arma abusiva para que a vítima, aos poucos, perca a autonomia e a própria voz.

Neste artigo, eu vou te mostrar o quanto um relacionamento superprotetor pode estar fazendo mal para você, invalidando os seus sentimentos e anulando a sua individualidade.

Leia também:

>> Relações tóxicas: a gente precisa conversar sobre isso!

>> Relacionamento‌ ‌abusivo:‌ ‌5‌ ‌sinais‌ ‌para‌ ‌saber‌ ‌se‌ ‌‌você‌ ‌está‌ ‌em‌ ‌um

4 sinais de superproteção em relacionamentos abusivos 

Em primeiro lugar, saiba que não é muito comum falar sobre superproteção em relacionamentos amorosos. Na verdade, essa é uma temática mais comentada em relações entre pais e filhos.

Aliás, existem estatísticas que relacionam a superproteção dos pais à criação de filhos dependentes emocionalmente e inseguros. E essa é uma informação importante, já que a lógica é bem parecida em relacionamentos abusivos.

Em nome do cuidado, o outro te trata como uma criança. Além disso, de acordo com a Canadian Women’s Foundation, fundação que trabalha pelos direitos das mulheres no Canadá, a pessoa superprotetora retira a sua autonomia como mulher adulta e tenta te infantilizar, agindo como se soubesse o que é melhor para você. 

Mas o grande problema é quando essa superproteção em relacionamentos abusivos se concretiza em ações que limitam e controlam a sua vida e o seu emocional. 

A seguir, você vai conhecer 4 exemplos de ações abusivas que, normalmente, são feitas em nome do amor. Preste atenção se elas acontecem dentro do seu relacionamento.

 

1. Controle financeiro

Em relações em que há superproteção, é comum o abusador controlar financeiramente a sua vida. E isso vai acontecendo aos poucos, sem que você se dê conta.

Pode começar com um “vamos ter uma conta conjunta?”, passar para “vou criar um cartão de crédito para você em meu nome” e chegar até o momento em que o outro controla o que você gasta ou ganha mensalmente.

A justificativa sempre vai ser que a pessoa se preocupa com você e que só quer te ajudar. Afinal, ela entende mais de bancos e de taxas do que você.

E isso é perigoso. Inclusive, muitas mulheres acabam não se separando ou saindo de relacionamentos abusivos porque não são independentes financeiramente.

Por isso, eu sempre incentivo as minhas pacientes e seguidoras a buscarem essa independência financeira. 

Por quê? Porque ela significa muito mais do que ter dinheiro para comprar algo para você. Ela traz liberdade.

E liberdade significa que você tem o poder de ir e vir quando quiser, evitando que o seu universo seja resumido a esse relacionamento amoroso.

 

2. Invasão de privacidade

Além do controle financeiro, outro perigo de relacionamentos abusivos é a invasão de privacidade, que pode acontecer de diversas maneiras.

Em nome da preocupação e do amor, o outro fiscaliza as suas conversas no Whatsapp, mexe no seu celular sem permissão, abre correspondências ou visualiza os seus emails. 

Existem casos, inclusive, de abusadores que instalam apps de rastreio no celular da vítima, com a justificativa de querer protegê-la e de poder resgatá-la se for preciso.

Não caia nessa.

Em relações saudáveis, cada pessoa mantém a sua individualidade e privacidade. Quando não existe esse respeito, é hora de ligar um alerta, pois há algo errado no relacionamento.

Então, entenda que a sua senha do Facebook é só sua e que você tem direito, sim, de conversar com as suas amigas sem contar tudo ao seu companheiro.

 

3. Afastamento de outras pessoas

Em relacionamentos abusivos, a superproteção também pode vir acompanhada da tentativa de te afastar de outras pessoas por amor ou preocupação.

Se você já ouviu algo como “aquela sua amiga não é uma boa influência”, “o seu colega de trabalho está interessado em você. Não quero que fale com ele” ou “não quero que você vá à academia sozinha”, saiba que isso é uma superproteção abusiva.

Tentar te afastar das pessoas e da vida fora do relacionamento é mais uma ferramenta para controlar o seu emocional, invalidar os seus sentimentos e anular as suas opiniões. 

Assim, você começa a duvidar das suas amizades e se isola do mundo, o que não é saudável.

Além disso, esse isolamento também é uma maneira de evitar que os outros tentem te alertar de ações controladoras que estão acontecendo em seu relacionamento.

Afinal, é muito mais fácil alguém de fora perceber que existe algo errado do que você, por si só, notar sinais abusivos no dia a dia.

 

4. Invalidação da sua capacidade

A superproteção também pode vir fantasiada da invalidação da sua capacidade e personalidade. E essa é mais uma maneira de tornar a vítima dependente do abusador.

Atitudes como não te deixar cozinhar porque é perigoso, alertar para não ir sozinha ao happy hour da empresa ou falar que você não precisa se preocupar em dirigir porque ele faz por você são ações que parecem zelo, mas são abuso.

A cada tentativa de invalidação da sua capacidade, você se anula e vai se afastando da sua essência individual. E isso é uma das características sutis e perigosas dos relacionamentos abusivos.

Lembre-se que, em uma relação saudável, existem 3 pilares: o eu, o outro e o nós. 

Quando o outro tenta, a todos os momentos, mostrar que sabe o que é melhor para você porque te ama, ele demonstra que, na verdade, só se preocupa em controlar as suas ações e sentimentos.

No entanto, eu sei que não é fácil se libertar dessa superproteção e reconquistar a sua autonomia. A boa notícia é que a jornada não precisa ser solitária.

No meu workshop do Barba Azul, eu guio mulheres a entenderem como desatar os nós dos relacionamentos abusivos e deixar de ser uma pessoa ingênua, que acredita que a superproteção é sinônimo de amor.

Reserve o seu lugar no próximo workshop clicando neste link. Eu vou te ajudar a entender, de uma vez por todas, que a pessoa mais importante da sua vida é você! 

Os comentários estão desativados.

Para Qual e-mail Devo enviar o link para a série de 03 vídeos gratuitos?

Seus dados estão 100% seguros