Relacionamento saudável: como você escolhe o seu parceiro amoroso?

Relacionamento saudável: como você escolhe o seu parceiro amoroso?

Relacionamento saudável: como você escolhe o seu parceiro amoroso?

Se você está em busca de um relacionamento saudável e duradouro, saiba que é importante escolher muito bem o seu parceiro amoroso. Afinal, entrar em uma relação pelos motivos certos é um dos segredos para a felicidade a dois.

Aliás, quero te fazer uma pergunta: é você quem escolhe entrar em uma relação ou é o outro que te escolhe? Pense nisso.

Por mais simples que esta questão pareça ser, ela é fundamental para compreender os seus padrões de comportamento, garantir a sua felicidade e preservar a harmonia na sua vida. E, neste artigo, eu vou te mostrar o porquê disso!

Leia também:
>> Quando é hora de começar um novo relacionamento depois da separação?
>> Eu nunca quis um marido, eu sempre quis um companheiro!

Qual é a relação entre a escolha do seu parceiro e o relacionamento saudável?

Pare por um momento e pense em sua vida amorosa ao longo dos anos. Reflita sobre como você escolheu os seus parceiros e por quais motivos decidiu que era uma boa ideia entrar na relação.

Se a sua resposta foi “ah, escolhi porque ele era legal”, “era a única opção que eu tinha” ou “melhor ele do que ficar sozinha”, ligue um alerta vermelho agora mesmo. Sinto muito, mas algo não vai bem no seu relacionamento interno.

Mas por que estou dizendo isso?

Bem, um relacionamento saudável e feliz depende das escolhas que fazemos e dos motivos que nos levam a querer dividir a vida e os momentos com outra pessoa.

Em outras palavras, escolher um parceiro apenas por escolher e entrar em um relacionamento pelos motivos errados, como o medo de ficar sozinha, não fazem bem para você – nem para o outro.

Afinal, uma hora ou outra as muletas emocionais não vão ser o suficiente para trazer a felicidade para a sua vida ou para sustentar o laço entre você e o seu parceiro. 

Assim, é preciso fazer escolhas conscientes e entender o que você realmente quer na relação ou naquele momento da sua vida. Somente assim é possível ser feliz de verdade e não cair em armadilhas de relacionamentos abusivos ou tóxicos.

No entanto, eu sei que esse não é um processo fácil. Aliás, muitas das minhas pacientes e mentorandas acabam me procurando porque sentem que estão estagnadas e que têm o tão conhecido “dedo podre”, pois nunca conseguem entrar em relações que as satisfaçam ou que as deixem felizes.

Mas a boa notícia é que possível mudar essa situação e entrar em um relacionamento pelos motivos certos, sem fazer escolhas precipitadas ou que preencham um vazio emocional.

– Por que precisamos rever a forma como escolhemos os nossos parceiros

Ao longo da vida, precisamos fazer muitas escolhas. Isso é um fato. E o grande ponto é que nem sempre racionalizamos o que nos leva a decidir por um caminho em vez de outro. 

Inclusive, pouco se fala sobre isso. Assim, crescemos buscando um relacionamento saudável com o mundo à nossa volta e com nós mesmas, mas não nos preocupamos em fazer as escolhas certas diariamente e pensar no que realmente queremos para a nossa vida. 

E, com isso, nos tornamos mulheres inseguras, que têm medo de se posicionar e que acabam sendo escolhidas pelos parceiros, aceitando as opções que a vida proporciona.

Para você entender melhor isso, vou trazer um exemplo prático e simples. 

Imagine que você está em um rodízio de pizza. Os garçons passam e oferecem uma variedade considerável de sabores: frango, milho, brócolis, quatro queijos, calabresa, marguerita, entre outras opções.

Em meio a tantos sabores, é comum ficar em dúvida do que escolher. Assim, você opta por experimentar um pouco de tudo, não é mesmo?

O problema é que, dessa forma, você não escolhe o que realmente quer comer, e sim o que está disponível naquele momento e o que o garçom te oferece, sem ter discernimento sobre as alternativas e sem refletir sobre o que te satisfaria e te deixaria feliz.

Mas o que o rodízio de pizza tem a ver com entrar ou não em um relacionamento saudável e com a escolha dos nossos parceiros de vida? Tudo!

Quando não refletimos sobre os nossos desejos internos e não nos conectamos com a nossa identidade, escolhemos um parceiro, um marido, um crush, um date, um namorado (ou o termo que você preferir) apenas porque ele era legal e estava disponível. 

Afinal, melhor assim do que ficar sozinha, não é? Bem, repense essa atitude e se reconecte com a sua voz interior. Do que a sua alma tem fome neste momento? 

– Como escolher um parceiro de forma consciente e genuína 

Se entrar em um relacionamento pelos motivos errados não é saudável, como é possível virar o jogo e fazer escolhas mais conscientes e genuínas? A resposta está mais perto do que você imagina: é preciso resgatar a sua identidade e saber o que você deseja para a sua vida.

Então, te pergunto: o que você busca em um parceiro amoroso e o que é um relacionamento saudável para você? 

Conforme um estudo realizado pelo aplicativo Clue com 64 mil mulheres, os critérios para a escolha de um parceiro tendem a ser os seguintes: bondade, apoio, inteligência, educação e confiança.

Mas será que isso é escolher de forma consciente e genuína? A resposta é nem sempre. Afinal, não é porque o outro é educado, inteligente e legal que ele não vai te magoar ou te trair – ou que você vai entrar na relação pelos motivos certos.

Dessa forma, se você realmente quer aprender a escolher e se posicionar na vida, preste atenção aos seguintes pontos:

  1. Para saber o que você realmente deseja e se reconciliar internamente, não espere a vida passar sentada no sofá.
  2. Aprenda a reconhecer os seus padrões de comportamento. Assim, identifique os motivos que fizeram você escolher os seus últimos parceiros amorosos.
  3. Relembre se você já vivenciou um relacionamento saudável ou tóxico. Você escolheu o parceiro, ou foi escolhida?
  4. Compreenda quais são os motivos que levam você a entrar em uma relação: é o medo de ficar sozinha? É porque o outro era o único que estava disponível no momento? Ou você quis preencher um vazio momentâneo?
  5. Busque maneiras de desenvolver o seu autoconhecimento. Grupos terapêuticos, meditação, yoga e outras atividades que te ajudem a se reconectar com a sua essência são ótimas opções.

Quer aprender mais sobre o assunto, escolher seus próximos parceiros de forma consciente e entrar em um relacionamento saudável e feliz? Então, clique aqui conheça a Mentoria Caminhos do Coração.

Os comentários estão desativados.

Para Qual e-mail Devo enviar o link para a série de 03 vídeos gratuitos?

Seus dados estão 100% seguros