Codependência emocional: 3 sinais que você precisa prestar atenção

Codependência emocional: 3 sinais que você precisa prestar atenção

Codependência emocional: 3 sinais que você precisa prestar atenção

Você já ouviu falar em codependência emocional? Esse termo tem a ver com um desequilíbrio na maneira nos relacionamos com os outros e esconde algo muito preocupante: o medo em viver a própria vida e lidar com os nossos sentimentos.

Então, se você acha que sofre com isso ou se relaciona com um codependente, saiba que é possível contornar essa situação e buscar mais equilíbrio em sua vida.

Neste artigo, eu vou te mostrar o que é a codependência emocional, além de 3 sinais que você precisa prestar atenção se quiser nutrir relacionamentos saudáveis e parar de viver na órbita do outro.

Leia também:
>> Respirando Emoções
>> Como se libertar do lixo emocional de outros relacionamentos?

O que significa codependência emocional?

Quando falamos sobre codependência emocional, é muito comum ouvir o seguinte questionamento: “ué, mas não é a mesma coisa que dependência afetiva?”.

A resposta é não.

Por mais que os termos soem de forma parecida, eles têm a ver com desequilíbrios diferentes na maneira como nos relacionamos com os outros, seja de forma amorosa ou na vida familiar, em amizades e no trabalho.

Bem, então vamos diferenciar os conceitos, não é mesmo?

A dependência afetiva, de forma resumida, acontece quando você acredita que o outro é o centro da sua vida e que, sem ele, não há motivos para viver. 

Além disso, é muito comum existir anulação de personalidade, baixa autoestima e dependência para tomar decisões no relacionamento, das mais simples às mais complexas. 

Para se aprofundar no assunto, leia o meu artigo sobre dependência afetiva.

Por sua vez, a codependência emocional acontece quando a sua vida orbita em volta das necessidades e dos problemas do outro. É quase como se você se sentisse responsável por cuidar da outra pessoa, protegê-la e controlar cada passo dado no dia.

Aliás, conforme a Mental Health America, ONG americana referência em debater e promover a melhora da saúde mental da população, o codependente emocional tem as seguintes características:

  • Um exagerado senso de responsabilidade pelas ações do outro.
  • Tendência em confundir amor com pena.
  • Necessidade de aprovação e reconhecimento.
  • Sensação de que é preciso controlar o outro.
  • Dificuldade em identificar e lidar com os próprios sentimentos.
  • Sentimento de culpa quando precisa gerenciar o próprio emocional.
  • Tendência em fazer mais pelos outros do que por si mesmo.

Além disso, é muito comum a pessoa codependente acreditar que está salvando o outro dos perigos da vida e resgatando-o de problemas existentes, como padrões de comportamento tóxicos, vícios, decepções em relacionamentos etc.

– Como se libertar da codependência emocional

Agora, quero te fazer uma pergunta: ao longo deste artigo, você notou qualquer indício de codependência em sua vida? 

Então, o próximo passo é olhar de forma atenciosa para esse padrão de comportamento e buscar ferramentas para se libertar disso.

Em muitos casos, saiba que o apoio terapêutico é um grande aliado para te ajudar a entender como parar de orbitar a vida do outro e recuperar o seu controle emocional e a sua identidade.

Mas, para deixar essa caminhada mais leve e consciente, eu vou compartilhar com você 3 dicas que podem te ajudar neste momento.

1. Pare de se preocupar com o outro

Enquanto você passa a maior parte do dia se preocupando com o outro, quem cuida das suas necessidades, do seu emocional e dos seus problemas?

Reflita sobre isso o tempo que precisar.

Afinal, é muito comum, na codependência emocional, priorizar as necessidades, os problemas e as questões do outro. Com isso, você varre os seus problemas para debaixo do tapete e não precisa lidar com eles.

Mas entenda que, uma hora ou outra, você vai precisar ficar cara a cara com as suas questões emocionais, especialmente para entender o porquê a codependência faz parte dos seus padrões de comportamento.

Então, se você quer resgatar o equilíbrio na sua vida e nutrir relações realmente saudáveis e felizes, pare de se preocupar tanto com o outro.

Lembre-se que a outra pessoa, assim como você, é adulta e tem capacidade para gerenciar os próprios problemas e questões emocionais.

2. Permita que a pessoa seja quem ela é

Um dos grandes desafios enfrentados pelo codependente é entender que é preciso parar de controlar os passos e as decisões do outro.

Aliás, pare de projetar seus sonhos e expectativas na outra pessoa do relacionamento. Isso só traz frustração, ansiedade e desarmonia em um relacionamento.

Afinal de contas, um relacionamento é formado por três pilares: o eu, o outro e o nós, principalmente no caso de relações amorosas.

Ou seja, cada pessoa tem a sua própria essência e individualidade, além de sonhos e escolhas. E eu sei que isso é algo complicado para quem sofre com a codependência emocional, já que há a necessidade de controlar e de podar os passos do outro.

Então, se você quer se libertar dessa codependência, comece a aceitar a personalidade da outra pessoa, bem como as escolhas, a individualidade e, por que não, a forma de lidar com os problemas, que pode ser diferente do seu jeito de agir e pensar.

3. Tome cuidado com a bondade tóxica

Se você é a pessoa codependente da relação, comece a prestar atenção em algo chamado de bondade tóxica. E você já vai entender o motivo para isso.

Na codependência emocional, quem sofre com esse transtorno tem a tendência de se sentir bem em ser o salvador do outro e de ser essencial para que a engrenagem da relação realmente funcione.

Afinal de contas, na mente do codependente, só ele sabe o que é bom para o outro e quais são as melhores escolhas. Se isso, por si só, já é tóxico para o relacionamento, imagine, então, quando a bondade tóxica também se torna protagonista na relação a dois.

Sabe aquela bondade que alguém faz para você e, lá na frente, cobra por isso? Bem, é sobre esse tipo de atitude que estou falando.

Então, se você já falou frases como “Eu faço tudo por você”, “Quando você precisou de mim, eu deixei a minha vida de lado” ou “Sempre que você precisa de mim, eu estou aqui para te apoiar, mas não posso dizer o mesmo de você”, fique atenta e busque ferramentas para melhorar o seu relacionamento consigo mesma e com os outros.

E eu posso te ajudar a deixar esse processo mais leve e consciente, sabia? No grupo terapêutico Mulheres Inteiras, eu caminho ao seu lado a partir da contoterapia para entender os seus padrões de comportamento e resgatar o equilíbrio emocional na sua vida. Clique aqui para saber mais.

Os comentários estão desativados.

Para Qual e-mail Devo enviar o link para a série de 03 vídeos gratuitos?

Seus dados estão 100% seguros